Em nosso último post aqui no blog mostramos o que é o Assessment e qual a sua importância para o desenvolvimento dos profissionais e da própria empresa. Independente do caminho escolhido para se percorrer quando o assunto é Assessment, é fato que todos tem um propósito em comum: ajudar o profissional a desenvolver suas habilidades conforme as demandas que sua posição exige, pensando sempre na sua perspectiva para o futuro. Dito isso, é importante ter em mente que existem diversos tipos de Assessment, com intuitos e características próprias.

Há o Assessment de Personalidade, que busca traçar características intelectuais a partir de alguns mapeamentos; o Assessment de Competências Comportamentais que analisa características comportamentais; o Assessment de Competências Técnicas que traça as habilidades práticas e o Assessment para Desempenho, que busca referências de produtividade e contribuição do profissional para sua área. Mas um Assessment que utiliza apenas um tipo de mapeamento tende a ser menos completo, por isso é essencial que sejam utilizadas ferramentas avaliativas objetivas e outras complementares. Afinal, é difícil planejar uma avaliação que enxergue a produtividade e também contemple tais características pessoais. E aí entra o sentido de complementaridade do Assessment.

As ferramentas objetivas incluem testes e mapeamentos, como por exemplo:

  • DISC©: desenvolvido pelo Dr. William Moulton Marston, determina quatro padrões de comportamento; dominância, influência, estabilidade e conformidade. Os quatro fatores  estão presentes na personalidade de todas as pessoas, e a dinâmica entre eles contribui para a construção da individualidade de cada um.
  • Mapeamento de Virtudes©: considera 24 principais Forças de Caráter agrupadas em 6 Virtudes, apontando assim quais são as mais relevantes na personalidade do profissional.
  • Inventário de Personalidade (MBTI©): esta ferramenta permite a identificação de um tipo de personalidade dentro de um grupo total de dezesseis possibilidades, a partir de quatro eixos de preferências e tendências comportamentais e de estilo de vida. O tipo de personalidade fala principalmente sobre a visão de mundo de cada pessoa e como suas percepções podem influenciar o seu cotidiano.
  • Dominância Cerebral©: classifica os estilos de pensamento e preferência comportamental identificados por quadrante cerebral, considerando as seguintes distinções que caracterizam nossa forma de lidar com as tarefas do dia a dia: Analítico (analisa os fatos, tratando-os de forma lógica e racional); Experimental (visualiza os fatos, tratando-os de forma intuitiva e holística); Controlador (organiza os fatos, tratando os detalhes de forma realista e cronológica) e Racional (sente os fatos, tratando-os de forma expressiva e interpessoal).

Além dessas, pode-se dispor de ferramentas avaliativas complementares, como a Análise Grafológica, que estuda a personalidade de um indivíduo a partir de marcas inseridas inconscientemente em sua escrita. Os grafólogos acreditam que a mente, ao comandar os músculos da mão, esconde mensagens em traços de letras e palavras. Esses detalhes – que variam do tamanho ao formato da escrita – representam experiências vividas, traumas e características da personalidade.

O mais importante é ter em mente que não existem respostas certas ou erradas quando nos referimos a quem somos e à nossa trajetória pessoal, mas através do Assessment podemos compreender o porquê dessa trajetória! Ficou interessado? Entre em contato conosco! E não esqueça que em nosso site é possível realizar o Mapeamento de Virtudes. Não vai perder essa oportunidade, né?

Nas próximas semanas exploraremos mais detalhadamente cada uma dessas ferramentas, então fique de olho aqui no blog e em nossas redes sociais!